Lista do dia: 7 suplícios de quem anda em ônibus.

Depender de transporte público é sempre estressante. Apesar de ser mais econômico muitas vezes, e mais ecológicamente correto, se perde grande parte da sua liberdade de ir e vir. Alguns sistemas de transporte público funcionam de forma perfeita, mas andar de ônibus normalmente independente do lugar sempre acarreta em alguns suplícios. E quem depende desse tipo de transporte sabe muito bem do que eu estou falando:

7. Atrasos

Você sai de casa já atrasado no horário certo, chega no ponto de ônibus e encontra uma multidão esperando. Acredita que o ônibus vai chegar logo, afinal se tem muita gente esperando é sinal de que o último ônibus da linha passou faz algum tempo. Ledo engano. Dez, quinze minutos e nada. Normalmente, segundo a lei de murphy, quando se está no limite de estourar seu orçamento e pegar um taxi pra chegar no horário, o ônibus chega. Lotado. E você ao invés de pensar “acho que vou de taxi mesmo”, pensa na sua conta do banco mais vermelha que gringo depois da praia e se enfia no meio da multidão.

6. Solavancos

Andar de ônibus é quase uma jornada num brinquedo de parque de diversões. Porque balança. Poderiam aproveitar esse efeito colateral de alguma forma. Levar leite e sorvete pra fazer milkshake ou quem sabe colocar uma música de fundo agitada pra que o balanço do ônibus se torne uma coreografia organizada. Definitivamente se você tem estômago fraco, não ande de ônibus. Ou pelo menos fique bem longe de mim quando o fizer.

5. Trânsito

Voltando ao primeiro cenário apocalíptico desse texto, lá está você, expremido entre pessoas desconhecidas, tentando se segurar de alguma forma, contando os minutos pra ver se consegue chegar com apenas quinze minutos de atraso no horário, e de repente o ônibus encontra um engarrafamento. Andando a 3 quilômetros por hora (e ainda assim sacudindo) você consegue ver os pedestres andando mais rápido do que você na calçada. E na hora que o trânsito abre um pouco, lei de murphy novamente, o ônibus para no ponto pra alguns passageiros descerem e outros subirem.

4. Calor e Mau Cheiro

Pode estar nevando lá fora, o ônibus estará uma sauna. Na verdade se o tempo está ruim, é provável que fique mais quente, porque o povo fecha as janelas e ônibus fica herméticamente fechado, gerando um efeito estufa. A não ser que seja um ônibus com ar-condicionado, que normalmente funciona bem no verão, mas é gripe na certa no inverno. O fato é que ambos os tipos de ônibus sofrem de mau-cheiro. Enquanto o calor aumenta ainda mais o odor de suor, principalmente se o ônibus está lotado com várias pessoas com a mãozinha pra cima tentando se segurar, os ônibus com ar-condicionado também sofrem do mau-cheiro específico de ônibus de ar-condicionado. Talvez eles coloquem o cheiro no ar, os filtros não sejam removíveis para limpeza, ou os usuários de ônibus não se sentiriam completos sem o mau-cheiro. Vai saber.

3. Vendedores e Pedintes

Talvez esse item seja exclusividade da cidade do Rio de Janeiro, embora eu tenha quase certeza de ter visto vendedores nos ônibus da Zona Leste de São Paulo. Você está lá, olhando a paisagem quando de repente escuta em voz alta e sem pausas para respiração: “bom dia senhores passageiros, desculpe interromper o conforto da sua viagem (ainda são sarcásticos os carinhas), mas vim aqui lhes trazer a oportunidade única de comprar a bala que está fazendo o maior sucesso da cidade, essa bala de iorgute (sic) você encontra pra vender (sic) nas lojas por um real, mas hoje em promoção especial estou fazendo (sic) quatro por um real“. Mas o pior ainda é a galera pedindo dinheiro. Ou eles passam com papéis contando sua tragédia em português tragicamente ruim, ou contam em monólogo triste. Ou então grupos, às vestidos de palhaço, tocando violão e cantando músicas estranhas desfinadamente, pedindo dinheiro pra instituições de caridade. E você lá, apenas querendo chegar no trabalho.

2. Aperto

Talvez a visão do inferno mais comum seja visualizar o ponto de ônibus de destino, e ao se virar para a porta de saída, não ter a menor idéia de como vai conseguir passar entre vinte e sete pessoas desafiando as leis da física e ocupando o mesmo espaço. Respira fundo, prende a respiração e se você tiver educação, vai entoando o mantra “comlicençacomlicençacomlicença” reze pra conseguir chegar na porta a tempo, ou o motorista pode arrancar e você ficar aos berros “motoriiiista!!! vou descer!!! vou descer!!! espera!!!

1. Crianças chorando e adolescentes

Não existe nada mais terrível do que estar posicionado bem próximo a um bebê de colo (em qualquer transporte público). Murphy novamente faz com que o berreiro comece em menos de cinco minutos. Isso até é saudável, histórias de crianças de colo que vomitam em cima de passageiros alheios em ônibus são mais comuns do que se imagina. Agora, o pior suplício são adolescentes, fazendo gracinha, rindo, se achando o máximo, tacando bolinhas de papel uns nos outros, sem idéia de que incomodam o mundo dessa forma. Acalme-se. Pense nessas horas que em dez anos, aqueles adolescentes aproveitando a vida, serão você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s