Mês: junho 2009

Refrigerante de presunto

Não é invenção, não é feitiçaria é americanologia.

A Jones Soda uma empresa de refrigerantes americanas criou linhas com sabores e rótulos especiais para o Thanksgiving. O sucesso levou a empresa a expandir sua linha de sabores exóticos e o resultado foram sabores inusitados como Presunto de Natal, Purê de batatas com Manteiga e afins…

Além dos sabores inusitados a empresa permite que os consumidores coloquem suas fotos nos rótulos e fazem edições especiais com rótulos engraçados. Uma boa estratégia de customização do produto e um diferencial bastante original das grandes marcas.

Realmente curioso é que eu fiquei com vontade de comer purê de batata depois de ler sobre os sabores destes refrigerantes, será que um copo de um desses refrigerantes mata a fome?

Lista do dia: 10 perguntas que eu faria em uma entrevista

1. Você já ouviu falar de M.C. Escher?

– objetivo dessa pergunta: saber o nível de cultura do entrevistado.

2. Defina Sônia Braga em 7 palavras.

– o interessante dessa pergunta é ver se utilizam-se palavras óbvias (atriz, famosa, brasileira… ) ou se surgem especifidades, emoções (inteligente, bonita…) e preconceitos até. A criatividade é um fator importante, uma vez que dizer 7 palavras descrevendo alguém conhecido, porém pouco disseminado na mídia atual é difícil.

3. Na sua opinião, chocolate branco é chocolate?

gosto pessoal, quebra o clima da entrevista e deixa a pessoa pensativa.

4. Se você pudesse escolher ser um personagem de caverna do Dragão qual você seria?

importância máxima. caverna do dragão possui seis personagens bem definidos e com “armas” diferentes, mostra um pouco da personalidade do entrevistado. Ainda podem surgir die-hard fans que querem ser vingador, mestre dos magos, tiamat ou quem sabe o cara que estava na prisão sem paredes (acabe a entrevista nesse último caso).

5. Você anda descalço ou de sapatos em casa?

mostra o quanto pé no chão a pessoa é.

6. Que produto do 011 1406 você já pensou em comprar?

hábitos de consumo, importante pra saber se vão pedir aumento quase que diariamente.

7. Stairway to Heaven ou Wonderwall?

gosto musical. se sair um “hein? não tem tati quebra barraco?” você sabe que as chances de contratação são poucas.

8. Drew Barrimore, gracinha ou demônio?

tem como objetivo analisar se a pessoa é acessível, ou mala. ou indiferente.

9. Se você tivesse que criar uma lista com 10 pessoas para passear a pé na superfície solar, em qual posição estaria sua sogra?

analisa o quanto seu futuro funcionário é focado.
10. Fale um pouco sobre a sua vizinha chata.

todo mundo tem uma vizinha chata. se sair uma resposta do tipo “não tenho uma vizinha chata” ou o candidato está mentindo, ou ele é o vizinho chato do prédio/da rua.

Lista do dia: 8 clássicos seriados infanto-juvenis brasileiros.

8. Castelo Rá Tim Bum

Seriado da TV Cultura dos anos 90, o Castelo tinha um formato bastante original, histórias diferentes, mas sempre com elementos educativos comuns. Nino o menino feiticeiro e seus amigos viviam pequenas aventuras enquanto descobriam mais sobre o mundo ao seu redor.

7. Caça Talentos

Nos anos 90 a Angélica migrou de emissoras mais de uma vez. Primeiro da extinta Rede Manchete para o SBT, depois para a Rede Globo. Além de um programa de auditório nos moldes dos programas infantis da época, ela ganhou um seriado no estilo de A Feiticeira, Jeanie é um Gênio, e Sabrina a feiticeira adolescente. Caça Talentos contava a história da Fada Bela, uma humana criada por fadas que voltava à terra depois de anos. Com efeitos especiais macarrônicos aliados à um humor pastelão acabou virando um sucesso com as crianças da época.

6. Um Menino muito Maluquinho

Uma das idéias mais brilhantes que eu vi ultimamente na TV brasileira. Uma adaptação do livro de Ziraldo para a telinha, a série foi muito bem construída com três “versões” do menino maluquinho narrando em idades diferentes e intercalando histórias com temáticas similares. O que me deixa triste ao ver o seriado é o fato de que eu me identifico mais com o menino maluquinho adulto e os pais dele do que com as crianças. Também, ver Maria Mariana interpretando mãe do maluquinho, ao invés do papel de “filha”, é mais um sinal da minha velhice.

5. Rá-tim-bum

Senta que lá vem a história… O programa precursor do Castelo Rá-Tim-Bum, uma miríade de esquetes educativas entre uma história principal diferente. Os personagens caricatos e esquetes bem boladas ficaram na memória de quem cresceu nos anos 80 e 90. Marcelo Tas como professor Tibúrcio, o Garoto Bom-Bril como Máscara, Iara Jamra com sua voz estridente como Nina, entre tantos outros personagens… Quando for pai, vou preferir mil vezes que meus filhos vejam os porquinhos do “experimente a refrescante sensação de bem estar, tome um banhinho já” do que o mala do Barney ou Backyardigans.

4. Armação Ilimitada

O melhor seriado da época, ainda vejo Kadu Moliterno como Juba, André de Biase como Lula, Andréa Beltrão como Zelda e Jonas Torres como Bacana toda a vez que os encontro na TV. As aventuras vividas pelos protagonistas, o triângulo amoroso, os esportes radicais, e o cenário carioca se mesclavam para formar esse clássico.

3. Mundo da Lua

Um dos meus sonhos quando criança era ter o gravador do Lucas Silva e Silva, e poder usar a imaginação necessária para tornar todas aquelas peripércias realidade. Mundo da Lua tinha um elenco fantástico, Antônio Fagundes (que dizem por aí foi quase pai de uma blogueira famosa) e Gianfrancesco Guarnieri, faziam o pai e o avô do Lucas no seriado, as histórias fantásticas do menino com imaginação fértil eram minhas preferidas da época, e com certeza fazem parte da minha história.

2. Confissões de Adolescente

Um pouco acima eu dizia me sentir velho vendo a Maria Mariana interpretar a mãe do Menino Maluquinho. Tudo porque eu via ela todas as tardes como Diana durante o começo da minha adolescência. Talvez o Barrados no Baile brasileiro (e até melhor que), sem tanto chororô e com uma pitada de humor, Confissões de Adolescente de livro virou peça e de peça virou o seriado adolescente de maior sucesso na época, com direito à serem convidados para fazer uma temporada na França. Ver a Debora Secco antes da fama subir à cabeça é bem interessante também.

1. Sítio do Pica-pau Amarelo

Confesso que pensei em colocar o Sítio numa posição bem mais abaixo. Mas, apesar de não ser o meu seriado favorito, devo admitir que tem mais méritos do que qualquer outro para estar na primeira posição. A adaptação de Monteiro Lobato para a TV foi um dos primeiros seriados infantis tupiniquins, fazendo sucesso instantâneamente e ficando décadas no ar, ganhando versões mais novas. O sítio encantou crianças de várias gerações, e apresentou o universo de Emília, Narizinho e Pedrinho à muita gente. Um clássico literário transformado numa obra prima da TV brasileira.

Photoshop Bizarro: Celebridades com rostos invertidos.

O site Freaking News publicou uma série de fotos de celebridades com seus rostos invertidos. O resultado ficou bizarramente interessante, veja algumas das fotos:

Adam Sandler:

Lindsay Lohan

Evangeline Lily

Michael Douglas

Jessica Simpson

Jennifer Aniston

Jack Bauer Kiefer Sutherland

Hugh Grant

Reese Witherspoon

Britney

Vin Diesel

Obama

Buffy Sarah Michelle Gellar

Jack Nicholson

Ewan McGregor

Você pode ver estas imagens e outras  aqui.

Cuidado apenas para não ficar assim depois de ver tais imagens:

Lista do dia: 6 comerciais clássicos de Teleshop

Comercias de vendas pela TV existem há anos. Nos anos 90, após a abertura comercial, vários produtos importados surgiam nos intervalos comerciais, com propagandas dubladas, nas quais era possível ver as bocas dos atores se mexendo descoordenadamente com o som do comercial.

Produtos de limpeza, meias, acessórios para cozinha, um mix bastante diverso de produtos era oferecido. Quase vinte anos depois, algumas dessas propagandas caíram na internet, e tanto os vídeos quando os produtos se tornaram bastante risíveis, embora nostálgicos.

6. Ferro à vapor Fratina

Sua blusa de seda queimou? Ora, jogue fora o seu ferro! A culpa é dele não da sua falta de atenção… E quando você comprava o ferro você ganhava ainda o cabo elétrico e um copo medidor para água. Uau.

5. Contour Pillow

O Countour Pillow era o travesseiro da Nasa da década de 90, era aquele travesseiro mágico que consertaria sua coluna, suas noites de sono e faria seu marido parar de roncar. Tudo bem que era apenas um quadrado de espuma comum e com design horrível, mas a velhinha era tão convincente… Contour Pillow? É um milagre!

4. Penaly Fountain Pen

Você não sente falta de uma caneta que seja forte o suficiente pra furar uma lata de alumínio? Ou quem sabe que possa ser usada como um dardo? Ou que escreva de cabeça para baixo? Não se preocupe, a Penaly Fountain Pen faz tudo isso e ainda mais…

3. Óculos Ambervision

Que Rayban que nada, Hype mesmo é óculos Ambervision. Além de terem um design que fica bem em qualquer rosto bloqueia os raios desfocados deixando passar apenas a luz em foco (q?). (Participações especiais de um comercial do Mapping, uma chamada de um programa sertanejo da época e parte de um dos blocos do programa da Ana Maria Braga).

2. Facas Ginsu

Você já precisou cortar um cano de chumbo com sua faca e ela perdeu o fio? Então você precisa da Ginsu 2000. E vinha com um certificado de garantia de 52 anos. Uau.

1. Sonic 2000

Meu sonho de consumo. E não era pra conseguir ouvir a agulha caindo do outro lado da sala… Imagina, era pra ouvir o que tanto as meninas da minha sala cochichavam no recreio. Eu saberia todos os detalhes sórdidos daqueles cochichos e faria provavelmente a mesma cara do senhor malvado que ouve conversas alheias no comercial. Mas ouvir conversas alheias não era permitido, a não ser que fossem a do seu filho telefonando pra alguém ao invés de estudar.

O Sonic 2000 ainda era indicado para pais relapsos, casais que querem conversar através das paredes, senhoras que falam no cinema e pais que não colocam uma mesa de estudos no quarto da filha. Aumenta em 22,87% (número preciso, uau) a sua audição, e você pode ouvir os verdadeiros sons da natureza.

Lista do dia: 12 músicas sobre Domingo.

Domingo é um dia ambíguo. Ainda que seja alegre por não termos trabalho e pelas horas gratificantes de descanso, a segunda feira fica cada vez mais próxima ao longo do dia, e a tristeza do final do fim de semana chega no ápice quando a noite cai e vemos a hora de ir dormir e colocar o despertador desesperador pro dia seguinte.

Fiquei surpreso com a quantidade de músicas sobre domingo que existem por aí enquanto pesquisava para esta lista. Imaginava que a grande maioria fosse ser como o “faz de conta que ainda é cedo” de cortar os pulsos cantada por Gal Costa e Tim Maia em “um dia de domingo”, mas achei músicas muito agradáveis, irreverentes ou mesmo relevantes para desviar sua atenção da segunda feira iminente:

12. Domingo na Praia – Velhas Virgens

Nada melhor do que o humor das letras do Velhas Virgens para espantar o tédio de Domingo. Duvido que ao ouvir o refrão “duro é quando a água gelada bate no saco” seu domingo será monótono como todos.

11. Sunday Morning – The Bolshoi

Para um domingo com climaretrô nada melhor que essa música clássica do The Bolshoi. Se você achar muito deprimente pode ao menos rir dos mullets e das caras e bocas do vocalista cantando sentado num sofá vermelho no meio do vídeo clipe.

10. Sunday Bloody Sunday – U2

Continuando com músicas “clássicas” de domingo, está Sunday Bloody Sunday do U2. A música é relacionada ao Domingo Sangrento da Irlanda, mas toda vez que ouço só consigo pensar em “Bloody Sunday”. Bloody acabou virando um advérbio de intensidade e de desatisfação ou surpresa dependendo do caso na Inglaterra, Bloody Hell sendo o uso mais comum. Bloody Sunday seria algo como “Domingo de M*rda” aos meus ouvidos…

09. Sunday Morning Call – Oasis

A segunda música com Sunday Morning no título, cantada por Noel Gallagher, uma baladinha bem dor de cotovelo (especialmente na versão acústica), mas adorável. Perfeita pra ouvir embaixo das cobertas naquele domingo com a chuva caindo na janela…

08. On a Sunday – Jimmy Eat World

Uma música boa para aqueles Domingos à tarde no carro voltando pra casa, deixando um fim de semana fantástico pra trás, mas com o pôr do sol compondo o cenário domenical e fechando o fim de semana de forma quase perfeita.

07. Sunday Morning – Margot Guryan

Se você tem um gosto mais apurado de música, e prefere ter jazz e folk como trilha sonora do seu Domingão do que escutar as bandas de axé, funk, pagode ou qualquer outro estilo popular nos programas domenicais e tocando na casa do seu vizinho, Margot Guryan pode ser a saída para o seu domingo.

06. Sunday Morning – No Doubt

Continuando com a enxurrada de músicas com “Sunday Morning” no título, mas quebrando um pouco a monotonia e colocando um pouco de Ska misturado com Pop, Rock e outros estilos, a música do No Doubt pode ser uma boa trilha sonora pra quem quer fugir da sonolência e construir um domingo agitado.

05. The Velvet Underground – Sunday Morning

Para os pseudo-intelectuais, alternativos e retrôs, nada melhor do que Velvet Underground como trilha sonora de um domingo qualquer ponderando a filosofia por trás da junção da letra com a melodia e todo o caráter filosófico por trás de um domingo. Obviamente eu dormiria se ouvisse a explicação de tal pessoa.

04. Sunday – Sonic Youth

Tirando um pouco as “Mornings” dos títulos da música e voltando à músicas mais agitadas para seu domingão, o Sonic Youth pode ser a solução. O clipe abaixo feito por um fã da banda usando vídeos de explosões do filme Zabriskie Point ajuda na composição.

03. Domingo – Titãs

Melhor do que esquecer de tudo que faz do Domingo um dia tão ruim, porque não lembrar exatamente de tudo isso numa música dos Titãs? Não sabe o que fazer? Sai por aí sem ter aonde ir? Celebre os defeitos do Domingo sorrindo, com essa música dos Titãs.

02. Sunday Morning – Maroon Five

Apesar de eu não achar o Maroon Five tudo o que dizem por aí, confesso que Sunday Morning é uma música excelente pra um domingo qualquer. O videoclipe no Karaokê com as pessoas cantando junto no final contribuiu bastante pro meu apreço pela música. “Come and rest your bones with me” escutando Sunday Morning este domingo.

1. Gloomy Sunday – Artie Shaw com vocais de Pauline Byrne

Se tudo não funcionou para espantar pelo menos parcialmente o clima de domingo do dia, o jeito é escutar Gloomy Sunday do compositor Artie Shaw, e levar o seu domingo da melhor forma possível…

Bônus:

Para aqueles que gostam do clima “vou cortar meus pulsos”, Um dia de Domingo – Gal Costa e Tim Maia:

Zabriskie PointZa

Lista do dia: 12 programas clássicos do SBT

12. Aqui Agora

O primeiro programa jornalístico policial da televisão brasileira. O programa passava nas tardes do SBT, com notícias bastante sensacionalístas e repórteres bastante caricatos. Foi o precursor de um formato que até hoje se encontra em algumas emissoras de TV. Quem não lembra de Gil Gomes falando com as mãos enquanto contava suas “reportagens” com voz em tom de mistério?

11. Show de Calouros

Um dos programas clássicos da emissora. Elke Maravilha, Pedro de Lara e Flor eram alguns dos célebres jurados que julgavam os artistas amadores no palco. O lararará da “abertura” é uma daquelas melodias que quem ouviu alguma vez na sua vida dificilmente vai esquecer. Infelizmente. Pedro de Lara surta no vídeo abaixo, chocado com as danças dos calouros.

10. Portas da Esperança

Um programa social do SBT. Os telespectadores enviavam cartas pedindo realizações de sonhos, poderia ser uma geladeira nova, um videogame, conhecer o Agnaldo Timóteo ou uma máquina de fazer fraldas. Acho que foi o único programa na minha vida em que eu vi uma máquina de fazer fraldas.

09. Xaveco / Quer namorar comigo?

Além dos programas sociais, uma das preocupações do SBT eram os programas de relacionamento. O “Quer namorar comigo”, depois renomeado de “Xaveco” era um deles. Pasmem, eu conheci alguém que foi o principal desse programa, o cara que ia lá, fazia as perguntas que iam aos poucos desclassificando as candidatas. No final ficavam um punhado de finalistas. A idéia era quem tinha o melhor “xaveco” ganhava dos concorrentes e o casal se conhecia apenas no fim do programa. Altamente cult, em vista que não encontrei nenhum vídeo deste no Youtube.

08. Show do Milhão

O “who wants to be a millionaire” brasileiro. Foi um grande sucesso de audiência quando foi lançado. Algo que sempre me intrigou no SBT é por que os prêmios são sempre em barras de ouro? Será que os salários dos funcionários do SBT também são pagos em barras de ouro? Será que alguém sai por aí perguntando “oi, você troca 100 reais em barra de ouro por duas de cinquenta”? Olhe o vídeo abaixo com uma participante hilária que “pede ao universo”…

07. Fantasia

Um programa de jogos via telefone, Fantasia ganhou uma grande audiência logo que estreiou. As assistentes de palco cantavam sucessos da música brasileira muitas vezes fora do tom, mas mostravam que precisavam de aulas de português quando faziam divisão de sílabas ao dizerem seus nomes “Mi-chele, Jú-ssara”. O programa começou a decair quando passou a ser apresentado por Carla Perez aos sábados. Mas rendeu o cult abaixo “I de iscola, E de esqueiro”.

06. Disney Club

Em parceria com a Disney, o SBT criou um programa infantil num formato diferente para a época dominada por apresentadoras e programas de palco. Com um programa apresentado por crianças que fingiam estar hackeando o sinal da televisão, e os desenhos de Walt Disney, Disney Club caiu no gosto do público infantil. Os “companheiros” do Comitê Revolucionário Ultra-Jovem (Cruj) ficaram na memória de quem era criança ou pré-adolescente na época.

05. Em nome do amor

Outro programa cujo foco era relacionamentos, Em nome do amor, comandado por Silvio Santos era um programa domenical onde seis participantes (em torno de três homens e três mulheres) formavam casais, conversavam dançavam na frente das câmeras e no final decidiam se iriam começar um relacionamento ou manter apenas a amizade. O uso de binóculos para enxergar as participantes femininas do outro lado do palco, a pergunta fatídica no final “é namoro ou amizade?”, e toda temática do programa fizeram dele um clássico.

04. Programa Livre

Apresentado por Serginho Groisman, com foco nos adolescentes, o Programa Livre era um formato interessante, a platéia fazia perguntas (“Fala garoto”) para celebridades do momento. Depois que  o apresentador se desligou da emissora outros apresentadores tentaram manter o programa sem muito sucesso.

03. Passa ou repassa

Uma gincana entre escolas que ficou anos no ar. Apresentado originalmente por Gugu Liberato, depois Angélica e Celso Portioli, suas provas “Torta na cara” e de gincana caíram no gosto do público juvenil. Outros programas tentaram copiar o formato, mas nenhum teve tanto sucesso.

02. Topa tudo por dinheiro

Aviõezinhos de notas de dinheiro, quadros como xampú de ovo, prêmio ou água e pegadinhas. Um clássico dos domingos, Silvio Santos está utilizando alguns dos seus quadros no seu atual programa domenical, mas o formato antigo, o cenário trash, e as caravanas de carapicuíba deixam saudade. O “banho” do Silvio abaixo virou um vídeo de sucesso na internet.

01. Viva a noite

Uma guerra dos sexos entre celebridades, enquanto moças dançavam em taças, bandas populares da época como Dominó, Polegar, Locomia faziam playback no palco, Gugu coordenava provas como “Pictionary”, estourar balões no colo e no peito dos participantes,  aos gritos de “É as mulheres oba!” na platéia. Um clássico. Tentaram ressucitar o programa recentemente, mas o formato envelheceu mal, e não conquistou uma grande audiência. E no meio de tudo ainda colocavam a dança da Galinha Azul (q?).

Cruj cruj cruj, tchau.