5 (7) coisas que você nunca deve colocar em seu currículo

Pesquisando sobre carreiras encontrei este post interessante sobre informações desnecessárias que não agregam valor e podem até tirar o foco do seu currículo. O post é bem interessante e tendo participado e organizado alguns processos seletivos, acredito que essas dicas são importantes para a construção de um bom currículo.

As cinco dicas são:

1. Não fornecer dados pessoais: concordo plenamente. A sua vida profissional deve estar em evidência, não a pessoal. Dito isso, ainda existem empresas que valorizam saber o estado civil dos candidatos para ter uma idéia do “perfil” que este possui. Não só isso é um comportamento arcaico, como discriminatório.

A idade também pode ser um fator que as empresas julguem de forma errada, a empresa pode discriminar candidatos muito jovens ou acima da idade que a “empresa está buscando”. Em algumas empresas, essas táticas arcaicas não mudaram, infelizmente continuam existindo com uma nova forma: hoje em dia as empresas criam vagas para “recém-formados”, não considerando o histórico profissional do candidato, que pode estar buscando uma vaga inicial numa nova área de trabalho.

Por isso, minha dica é se você acreditar que seus dados pessoais podem agregar valor pra vaga que você está procurando, coloque. Os hobbies, idem. Se agregam valor ao currículo vale a pena colocar, se é apenas um hobby pessoal que não agrega valor para sua carreira, deixe de fora e converse sobre isso com seu chefe e colegas depois que conseguir o emprego.

2. Colocar toda sua experiência profissional desde a adolescência. Concordo discordando. Você pode sim colocar toda a sua experiência profissional se você não tem um histórico muito grande. E dependendo das experiências que você teve no passado, pode sim ser relevante para a vaga em questão e um diferencial. Especialmente se forem trabalhos no exterior. Essas informações também incrementam seu perfil, podem mostrar que você teve que aprender a lidar com a administração de uma loja, por exemplo, e podem sim ser relevante à vaga. Mas procure não se estender em experiências muito antigas. Dê preferência para as recentes e/ou mais relevantes para a vaga em questão.

3. Se estender por mais de duas páginas. Difícil, mas não impossível. O currículo exige um bom trabalho de síntese e foco. Coloque os dados mais relevantes (experiência profissional mais recente e relevante) e dados acadêmicos. Deixe a segunda página para cursos extra-curriculares (a não ser que um desses cursos seja exigência da vaga, como Java, PHP), línguas, hobbies e etc. Objetivo é uma faca de dois gumes. Eu não coloco no currículo nem acredito nos objetivos da pessoa que coloca salvo profissionais que buscam uma vaga muito específica. Mas, se quiser colocar, evite ser muito específico e muito vago,  o senso comum é colocar em prática e aprimorar meus conhecimentos na área de interesse (de preferência a da vaga em questão), não é incomum ver candidatos colocando “para auxiliar no progresso e desenvolvimento dos objetivos da empresa”. Muito lindo. Mas apenas serve como “encheção de lingüiça”.

4. Pronomes Pessoais. Concordo. Evite ao máximo. Corte o “eu” e diga “participei de um projeto X, auxiliei no planejamento do projeto Y” ou destaque apenas as funções “análise de custos do projeto Z, elaboração de estratégias para o departamento XYZ, criação e desenvolvimento de ABC”. Jamais use a terceira pessoa “Gisela trabalhou como gerente de compras em 2006 depois migrou para uma agência de publicidade onde ela fez trabalhos ligados à internet”.
5. Referências. Corretíssima a posição da autora. Devem ser solicitadas após a leitura do currículo e das entrevistas pessoais.
Excelentes as dicas do post, mas a autora esqueceu de 2 dicas essenciais:

6. Não use fontes de difícil leitura, e organize o texto de forma clara. Por via das dúvidas use Arial, Times New Roman, Verdana… Fontes agradáveis, em um tamanho legível e num formato fácil de visualisar as informações. Já recebi um currículo que era quase uma planilha do excel, não muito agradável de ler e isso passa uma sensação de desorganização.
7. Coloque foto apenas se requisitado. Se não pedirem foto, não coloque. Se acaba perdendo espaço no currículo, e pelo menos em teoria não agrega valor ao currículo. Pedir foto é considerado uma atitude extremamente anti-profissional e um sinal de que a vaga pode não ser muito séria, mas por incrível que pareça não é incomum, infelizmente, para vagas de atendimento e em outros países). Se pedirem foto escolha uma que passe sensação de profissionalismo e simpatia.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s