Mês: maio 2009

Lista do dia: 10 videoclipes com desenhos animados interessantes

10. Gorillaz – Dare (e todos outros)

Gorillaz é uma banda fictícia, e seus membros são personagens animados. Logo todos os seus clipes são desenhos contando “as aventuras” da banda. Visualmente atraentes, e com tramas meio bizarras, são sempre vídeos interessantes.

9. Mark Ronson e Lilly Allen – Oh my God

A parceria dos dois fez um som excelente, no vídeo a versão animada de Lily está muito parecida com a cantora. O  clipe me lembra muito “uma cilada para Roger Rabbit”, com a animação interagindo com a realidade.

8. Radiohead – Paranoid Android

Um clipe completamente psicodélico, mas ao mesmo tempo fascinante e se encaixando perfeitamente com a música e seguindo a personalidade da banda.

7. Gram – Você pode ir na janela

A triste história das nove vidas de um gato ganhou popularidade na MTV. Um clipe inteligente que agregou valor a uma banda até então desconhecida. Uma pena que não conseguiram dar continuidade a sua popularidade.

6. The White Stripes – Fell in love with a girl

Só pelo fato de ter sido feito com Lego, já merece estar nessa lista.

5. Titãs – Os cegos do castelo

Na minha opinião, o melhor videoclipe da banda. A história trágica do desenho combina perfeitamente com a música melodramática.

4. Marisa Monte – Diariamente

Como fazer um clipe para uma música que envolve tantos objetos como Diariamente? A resposta veio num desenho animado simples, mas que engloba completamente e até agrega valor artístico a música.

3. Daft Punk – Harder, Better, Faster, Stronger entre outros

O Daft Punk foi além de fazer um clipe com animações, eles fizeram uma série. O mangá intergalático foi dividido em várias partes, cada uma delas servindo de clipes para músicas da banda. O resultado ficou excelente.

2. A-ha – Take on Me

Definitivamente a música e o clipe de maior sucesso do A-ha. O uso da animação interagindo com a realidade ficou perfeito, e deixou o clipe na memória de muita gente.

1. Pearl Jam – Do the Evolution

O desenho apocalíptico é perfeito como clipe de Do the Evolution. As mensagens sobre a natureza e evolução do homem, o estado do mundo atual e pra onde as coisas podem ir são mostradas perfeitamente no desenho. Impactante e chocante, não tinha como não encabeçar esta lista.

Anúncios

Lista do dia: 10 Propagandas de sucesso com Jingles Clássicos

Não é de hoje que intervalos comerciais são concorridos. Desde a popularização dos aparelhos de TV as empresas buscam prender a sua atenção nos produtos ou marca delas de qualquer forma. Desde a era do rádio muitas empresas optam por jingles, músicas fáceis de memorizar com as marcas ou produtos destacados na letra e no contexto. No Brasil vários jingles fizeram sucesso nacional ou internacional. Busquei alguns dos mais marcantes para esta lista:

10. Faber Castell

Não é exatamente um jingle, porque ela usou Aquarela, uma música do Toquinho e Vinícius. Mas quem é da minha geração provavelmente pensa nesta propaganda ao ouvir a música.

09. Leader Magazine

“Já é natal…” provavelmente você completou com “… na Leader Magazine”. Esse jingle festivo simples gruda na cabeça como chiclete, e eu sempre me pego repetindo toda vez que leio “Já é natal” em algum lugar. Recentemente ganhou novas versões como esta, mais elaboradas.

08. Matte Leão

Outro jingle que recentemente ganhou uma nova roupagem, a música do Matte Leão foi muito bem elaborada, “Olha o Matte” era o que os vendedores gritavam nas areias do Rio de Janeiro, logo, por causa da música os clientes associavam a marca.

07. Bamerindus

O tempo passa, o tempo voa, mas o jingle do Bamerindus continua aqui na minha cabeça. Fácil memorização, e depois de várias piadinhas com a poupança da Cristina continua numa boa na segunda série, acho que fica guardada em algum neurônio por um bom tempo…

06. Mamíferos

Qual a melhor maneira de fazer um comercial de leite? A Parmalat juntou vários elementos (público alvo = pais e filhos, tema = mamíferos), e acabou criando um dos comerciais mais lembrados e bem sucedidos da década de 90. A música e as crianças fantasiadas aparecendo no vídeo de acordo, fizeram sucesso absoluto, complementado com a venda de bichinhos de pelúcia inspirados nessa propaganda.

05. Estrela

Não consegui achar o vídeo, mas era basicamente crianças brincando com os brinquedos mais populares daquele ano. A música da estrela também ficou guardada na cabeça de quem era criança lá pela segunda metade dos anos 80, primeira metade dos anos 90. Líder do mercado de brinquedos na época, não era de se esperar que as crianças prestassem bastante atenção ao comercial e memorizassem a música quase que imediatamente, se tornando um clássico para aquela geração.

04. Bubbaloo Banana

O chiclete Bubbaloo fez duas propagandas geniais na década de 90. Usando uma versão de Banana Boat song, eles criaram a propaganda do Bubbaloo banana com crianças dançando no ritmo. Outra propaganda com temática escolar foi usada para o Bubbaloo melancia, com uma versão de Pata Pata, da cantora Daúde.

03. Big Mac

Uma propaganda simples, que informava o conteúdo do seu sanduíche mais popular para seus clientes, com uma música pegajosa e de fácil memorização. A promoção que dizia para os clientes cantarem a musiquinha no caixa das lanchonetes também contribuiu para aumentar a popularidade.

02. Banco Nacional

Mais uma propaganda de natal. Por mais que o Banco Nacional não exista mais, a música da propaganda ainda é lembrada todo natal, utilizada em algumas lojas e cantada por alguns corais.

01. Guaraná Antartica

A propaganda pipoca com Guaraná ainda é lembrada por muitos. Além da pipoca, um outro vídeo com uma música mais romântica sobre a pizza também faz parte das memórias dos consumidores. Ponto pra Antartica.

Lista do dia: 11 heróis não convencionais dos quadrinhos

Personagens de quadrinhos clássicos seguem modelos básicos de personalidade: ou são movidos por sua nobreza, ou por seu ego e inteligência, ou ainda por vingança ou trauma. Muitos personagens recentes não são tão simples assim, suas ações não seguem regras clássicas das histórias em quadrinhos, e por causa disso, ao meu ver, os personagens e suas histórias tomam rumos mais interessantes. Essa lista busca mostrar personagens que fogem dos parâmetros e objetivos comuns no meio, e seus autores acabaram criando uma caracterização original.

Excluí dessa lista personagens de títulos mais adultos, como os do selo Vertigo, porque para este segmento fugir dos padrões é o normal. Por isso incluí apenas integrantes dos universos “clássicos” das duas maiores editoras de quadrinhos. Também excluí grupos originais, como Runaways, Avengers: the Initiative e X-Statix, porque é assunto para outra lista.

iceman11. Homem de Gelo (X-Men)

A primeira vista pode-se pensar no Homem de Gelo como um personagem senso comum dos quadrinhos. Um dos X-Men originais, Bobby Drake era responsável pela veia cômica do título. Quando Chris Claremont entrou como novo roteirista, Bobby saiu da equipe. A história do personagem continuou, ele foi para a faculdade e eventualmente retomou sua carreira como membro das equipes mutantes. A verdade, no entanto, é que ele deseja nada mais do que uma vida normal. Nunca gostando de levar seu potencial ao limite, com medo de deixar de ser humano, Bobby só não deixa seus companheiros de equipe e segue sua carreira de contador pelo seu senso de responsabilidade e fidelidade aos seus amigos. É muito difícil encontrar um personagem nos quadrinhos que efetivamente queira abandonar uma vida de aventuras e viver apenas uma pacata existência, mas que ao mesmo tempo sabe a responsabilidade que isso acarreta. Uma pena que esse lado do Homem de Gelo ainda não é completamente explorado.

emma10. Emma Frost (X-Men)

A Rainha Branca começou sua carreira como vilã. Poderia ser apenas mais uma vilã que se torna heroína, mas não. Emma não só não se arrepende completamente do seu passado, como acredita que ela é o que é por causa dele. Uma das personagens mais autoconfiantes dos quadrinhos e de caráter ambíguo, ela é capaz de fazer tudo para alcançar seus objetivos e defender aqueles com quem se preocupa. É comum mocinhos e bandidos trocarem de papéis, mas Emma está longe de ser uma heroína clássica, mas também não se enquadrando mais no quadro dos vilões, sendo difícil estabelecer um meio-termo para o papel que ela exerce, e para qual lado da balança ela vai deslanchar a cada edição. O que a torna muito interessante, e mais próxima da realidade.

star9. Stargirl (JSA)

Courtney caiu num dos parâmetros de heroísmo clássico. Mas, ao mesmo tempo mantém suas atitudes adolescentes e sua insegurança. Até aí nada de novo ou original, o que torna a trajetória da Stargirl tão exótica é como ela passa de uma menina mimada querendo ferir o novo padrasto adotando uma identidade heróica como um ato de rebeldia, para uma menina aprendendo com os mais velhos e adquirindo novas habilidades. Essa transformação por si só é bastante incomum. É difícil que personagens mimados abandonem suas personalidades e se desenvolvam, normalmente é esperado que as características das personalidades sejam mantidas e bem escrachadas (exemplos clássicos Arqueiro Verde, Homem Águia). Logo Courtney fugiu dessa regra, e ganhou seu espaço nessa lista.

m8. M (Generation X, X-Factor)

Originalmente duas irmãs gêmeas unidas formariam a personagem, sendo que uma das irmãs era autista. Com a popularidade e recepção altas, a história de Monet acabou sendo modificada e a personagem acabou se tornando “real”. O que faz dela tão interessante é sua personalidade ególatra e absorta. Diferente da Rainha Branca, isso é apenas um mecanismo de defesa de Monet que não quer que os outros percebam o quanto ela pode ser vulnerável emocionalmente. Recentemente ela vem sido muito bem trabalhada por Peter David em X-Factor (assim como todos os outros personagens presentes no título). Autoconfiante e de personalidade forte, cada vez mais ela ganha voz própria e se torna uma heroína ímpar.

spectre7. The Spectre (JSA)

O Espectro é o espírito da vingança divina encarnado. Diferente do motoqueiro fantasma (um personagem “amaldiçoado” por demônios), o Espectro oferece ao seu hospedeiro uma chance de voltar à vida e vingar a morte dos inocentes. Sem muito controle sobre suas decisões e tendo noção dos poderes imensuráveis que possuem, os hospedeiros muitas vezes embarcam em batalhas contra si mesmos, na tentativa de frear as ações do Espectro. Recentemente ele foi uma peça principal no universo da DC, e todas as suas vertentes foram muito bem exploradas, desde a necessidade de um espírito da vingança até a razão de um hospedeiro ser fundamental para contê-lo. O que o futuro há de trazer para esse personagem só o tempo pode dizer.

Drax6. Drax the Destroyer (Guardians of the Galaxy)

Drax também é um personagem que volta à vida sob uma nova forma com um objetivo: matar o avatar da morte. Durante anos o personagem foi tratado de forma bidimensional nos quadrinhos, e até recebeu caracterizações pouco inteligentes ao longo do tempo. As coisas mudaram com o lançamento de uma minissérie própria, na qual interagia com uma menina terrestre que o adotava como “animal de estimação”, o personagem começou a ganhar espaço e crescer dentro do universo. Atingindo seu objetivo principal fica a questão do que ele fará agora, que não tem mais um propósito? É esperar para ver.

bullet

5. Bulleteer (Seven Soldiers of Victory)

Uma nova versão de um personagem da era dourada, Alix era uma dona de casa recém casada como qualquer outra, se preocupava em como iria envelhecer e vivia uma vida feliz com seu marido. O que ela não sabia é que ele nutria uma obsessão sexual por heroínas e fantasiava que os dois pudessem se tornar heróis um dia. Tentando colocar isso em prática, ele acaba morrendo sufocado pela pele de metal que ele tentava criar. Alix teve mais sorte. Após uma tentativa de suicídio, ela decide procurar ajuda psicológica e tentar seguir os desejos do seu marido. Acaba virando uma segurança de celebridades, mas como todo bom personagem de quadrinhos, o perigo acaba batendo em sua porta. Infelizmente ainda bastante obscura dentro da DC comics. Torço para que algum título acolha a personagem que tem potencial para se tornar um ícone.

madrox4. Madrox (X-Factor)

Jamie Madrox, o Homem Múltiplo, assim como o Homem de Gelo era apenas utilizado como veia cômica dos quadrinhos. No entanto, uma minissérie em estilo noir transformou completamente o personagem. Para decidir o que fazer da vida, Jamie resolve enviar suas duplicatas ao redor do mundo para aprender diversas profissões e conhecimentos gerais. Enquanto isso resolve abrir uma agência de detetives especializada em casos mutantes. Em pouco tempo, Jamie acolhe seus amigos e se vê o líder da nova formação do X-Factor, embora ele mesmo não saiba “para onde” esteja liderando a equipe. Pra piorar a situação, suas duplicatas começam a criar identidades próprias e Jamie se vê sem controle… Por ser um personagem com tantos problemas e ainda assim ter que manter a cabeça no lugar e liderar um grupo mais problemático ainda, Madrox é um dos meus personagens favoritos no momento.

jessica3. Jessica Jones (Alias, New Avengers)

A história típica de como se criar um personagem de quadrinhos: menina nerd sofre um acidente de carro quase fatal envolvendo produtos químicos e descobre que ganhou super-poderes. Ainda por cima sua família inteira morreu no acidente, dando pano pra manga para vários traumas. Jessica obviamente resolve combater o crime com suas novas habilidades. Aí que sua vida acaba e ela deixa de ser um cliché. Completamente amadora Jessica se vê possuída por um vilão que hipnotiza ela e completamente desmoraliza a personagem. Além disso, quando ela ataca os Vingadores por ordem do malfeitor ela acaba em coma. Jessica decide largar a vida de heroína e acaba virando uma detetive. Mas sua vida, como sempre, acaba atraindo o perigo e ela se envolve novamente com a vida heróica. Eventualmente ela engravida de um caso de uma noite, Luke Cage, mas eles acabam tentando construir uma família em meio a seus problemas.

ccreyes2. Cecelia Reyes (X-Men, NYX)

Exatamente o oposto do que se espera de uma mulher dos quadrinhos.  A própria Cecelia nota que o corpo dela está longe de ser perfeito, e de que ela não é uma mestra das artes marciais ou defesa pessoal. Ela é, no entanto uma cirurgiã, isto é, já estava acostumada e inclinada à salvar vidas diariamente. Quando é revelado que ela é uma mutante, Cecelia acaba encontrando abrigo com os X-Men, e aos poucos integrando a equipe. Sua vida tragicamente acaba mudando pra pior. Ela é levada à um campo de concentração de mutantes e esquecida por seus amigos. Se salvando de alguma forma ela se muda pra Manhattan onde cria uma clínica clandestina para atender a população carente da cidade (especialmente alguns mutantes e membros de gangues).

jack1. Starman (Starman)

Jack Knight é o segundo filho de Ted Knight, o Starman original. Quando criança ele queria ser um super herói como o pai, mas acabou reprimindo esses sentimentos na sua adolescência quando sentia que seu pai não dava atenção à sua família, em especial à sua mãe que estava morrendo, sofrendo de câncer. Jack cresce e fica sem muito contato com seu pai. Seu irmão mais velho acaba tomando o manto do pai, mas acaba morrendo logo no começo de sua carreira. Jack percebe que a cidade precisa de um defensor e meio a contragosto acaba se tornando o novo Starman. Durante todas as edições da série vemos Jack questionando seu papel, seu futuro, e sua relação com seus pais. Ele descobre o legado que seu pai criou, se relaciona com antigos personagens que adotaram o mesmo nome, Starman, no passado, acaba tendo um filho com sua principal inimiga e fazendo as pazes com seu pai. No final quando ele fica entre sua nova família e uma vida de aventuras ele não pensa duas vezes. Passa adiante o manto, define novos guardiões para sua cidade, e deixa essa carreira para trás.

Lista do dia: 7 Gadgets Paleozóicos

A evolução dos aparelhos eletrônicos está cada vez mais veloz. Novidades de hoje se tornam obsoletas em alguns meses, e saem de linha rapidamente. Com tantas opções e funções, é difícil parar pensar que já sobrevivemos sem nossos Blackberrys, Ipods e câmeras digitais. Como fazíamos para mandar mensagens, tirar fotos, nos entreter e sobreviver fora de casa? Acabamos nos esquecendo que existiram outros gadgets clássicos que cumpriam com essas funções:

Brick_game7. Minigames

A música estridente do Tetris destes minigames cinza jamais sairá da minha mente. Uma febre entre crianças das décadas de 80 e 90 os joguinhos simples eram vendidos em camelôs por todo país. Hoje em dia com jogos melhores mais acessíveis nos celulares, lan houses com Counter Strike e videogames portáteis muito mais avançados que um Atari ou Master System é impensável imaginar que esses joguinhos ainda sejam vendidos por aí. Mas, eles ainda existem. Talvez os camelôs que ainda tem essa mercadoria um dia percebam o valor de colecionador, ou revendam para antiquários e museus.

agendaeletronica6. Agenda Eletrônica

Se hoje em dia quem tem um Iphone é considerado atual nas salas de aula, na minha época era quem tinha a mais avançada agenda eletrônica. Por mais que todos os estudantes da minha sala ainda utilizassem as velhas agendas de papel para anotar telefones, aniversários e os deveres de casa, todos queriam a versão eletrônica que além disso tinha outras funções, como calculadora, e algumas até diziam “a sorte do dia”. Talvez seja de uma agenda eletrônica que a idéia para a sorte do dia do orkut tenha surgido, quem sabe… Um legado para humanidade.

polaroid5. Polaroid

A extinção da Polaroid deixou muita gente deprimida. Além das espécies que matamos por conta do aquecimento global, desenvolvimento não sustentável e poluição desenfreada, gadgets obsoletos também correm risco de extinção. As máquinas de tirar fotos instantâneas tinham seu charme. Os fatos de que você poderia escrever na parte branca das fotos, de que era uma surpresa ver a revelação alguns minutos depois de tiradas e de que as fotos eram temporárias, lentamente se apagando com o tempo, eram características únicas e davam “personalidade” à máquina. Já deixou saudades.

disk4. Disquete

Até alguns anos atrás era a única maneira de levar dados de um computador para outro. A velocidade crescente da internet, os CDs e DVDs reutilizáveis com mais espaço de armazenamento e principalmente a criação dos pen drives acabaram decretando a morte dos disquetes. Se a versão de 5 polegadas já não era presença obrigatória nos PCs desde a metade da década de 90, a de 3 e meia morreu na primeira metade da década atual, hoje em dia sendo quase impensável um computador novo com um drive para disquetes.

discman3. Discman / Walkman

Na primeira metade da década de 90 só se era alguém no colégio se você tinha um walkmen e utilizava no recreio para ouvir alguma fita com músicas variadas gravadas das rádios, ou alguma rádio voltada ao público jovem (Jovem Pan, Cidade e RPC aqui no Rio de Janeiro, dependendo do seu estilo musical). Na segunda metade eram os discmans que ditavam a popularidade. Ainda me lembro que me espantava a rapidez com que minhas pilhas descarregavam no discman, e o fato dele não ter receptor de rádio acabou me fazendo voltar a usar walkman com mais frequência. Isso é outra coisa que era essencial naqueles anos dourados, o uso de pilhas. Ou se comprava pilhas baratas em bando, ou pilhas duráveis no supermercado. Um par de pilhas duráveis acabava durando e custando o mesmo que um punhado de pilhas genéricas. E eu sempre tinha um saquinho com 1200 pilhas velhas separadas para reciclagem.

pager2. Pager

Um dos meus sonhos de consumo da época, pagers, também conhecidos como Bips ou Mobys (por causa da marca mais comum), eram utilizados para receber mensagens de texto digitadas por uma central de atendimento. Eram uma alternativa ou complemento para os celulares, que na época ainda não recebiam mensagens de texto. Com os novos aparelhos celulares que recebiam e enviavam mensagens, o declínio do produto e dos serviços foi rápido, mas ainda era possível aproveitar algumas de suas funções, como ocaso de um dos meus amigos que usou um destes aparelhos como despertador durante anos.

portable typewriter1. Máquina de escrever portátil

Máquinas de escrever foram um ícone do século vinte. A invenção de uma máquina de escrever portátil foi sucesso absoluto. A partir desse momento estudantes, trabalhadores e mesmo donas de casa poderiam fechar suas máquinas numa maleta e carregá-las para onde quisessem. Era o início da tendência da portabilidade se pararmos pra pensar. Computadores e laptops cada vez mais populares (e infinitamente mais leves e compactos) acabaram quase que completamente com o uso das máquinas de escrever. Dito isso, numa das empresas em que eu trabalhei, eu ainda utilizava com frequência uma máquina de escrever para a criação e edição de certos documentos oficiais. Mas infelizmente ela era bem mais moderna, não era um modelo portátil, e não fazia o mesmo barulho das que eram utilizadas quando eu era criança.

Bônus: Fichas Telefônicas

ficha

Outro dia meu irmão chega atrasado para um almoço em família e diz: “Desculpe o atraso, tive que passar no Centro e estava sem celular pra avisar”. Obviamente eu falei: “Ué, era só ligar a cobrar do orelhão!”. Antigamente era a única forma de se comunicar com alguém “da rua”. As fichas de orelhão quase tão comuns quanto moedas, e as filas para usar os aparelhos, também. Mais de dez anos depois e meu irmão de 17 anos quase nem se lembra da existência destes aparelhos nas esquinas. Se ele utilizou um orelhão uma vez nos últimos cinco anos foi muito. Logo, prevejo o sentido da expressão “caiu a ficha?” sendo explicado por antropólogos, e provavelmente vão usar uma imagem minha em 1992, usando o orelhão da escola, ligando pra minha mãe pra avisar que a aula ia acabar mais cedo.

Lista do dia: 9 robôs icônicos

Hoje em dia conviver com robôs é uma realidade. Eles estão presentes desde montadoras de automóveis, brinquedos e servindo  té de animais de estimação artificiais. Mas não é de hoje que robôs aparecem em filmes e programas de TV, o fascínio pela interação desses seres artificiais e nós seres humanos sempre perpetuou a mente dos telespectadores. Muitos destes robôs acabaram virando ícones e ficaram na memória de muitos:

megaman9. Megaman

Presente até hoje como uma das principais criações da Capcom, e porque não dos videogames, Megaman foi o personagem-título de um jogo eletrônico criado nos anos 80 por Akira Kitamura. O sucesso do jogo acabou resultando em sequências e se tornou uma das séries de maior sucesso financeiro da empresa. Nos anos 90 um desenho animado baseado no personagem e sua hstória foi desenvolvido. Acredito que Megaman seja robô mais bem sucedido do gênero, conquistou fãs ao redor do mundo e se estabeleceu como um dos personagens mais populares dos jogos eletrônicos.

anri8. Anri (Jaspion)

Quem cresceu nas décadas de 80 e 90 está acostumado a ver robôs na televisão. Praticamente todo herói de seriado japonês  trazia algum companheiro eletrônico, seja como ajudantes ou robôs imensos para enfrentar monstros gigantes no final dos episódios. Jaspion possuia ambos. Se Daileon era a máquina gigante que destruia os inimigos colossais, Anri era a andróide coadjuvante. Dona de uma personalidade forte, em vários episódios ela entrava em “curto” e ao invés de CTRL ALT DEL a maneira de restaurá-la era consertar uma caixa de fusíveis e fios atrás da roupa vermelha. Completamente trash e impensável nos dias de hoje, mas bastante nostálgico para quem cresceu assistindo a série.

walle7. Wall-E

O personagem da Disney-Pixar se tornou um ícone instantâneo. A história cativante do robô progamado para limpar um planeta devastado e acaba adquirindo uma personalidade própria, e principalmente uma curiosidade sobre a cultura humana, é fascinante. O visual que a Pixar criou complementa perfeitamente a história da Disney. A expressividade dos robôs  foi um fator crucial para que os expectadores conseguissem se identificar com o personagem principal. Mas a trama interessante e personalidade do robô sedimentaram o filme e Wall-E como um dos robôs mais originais desta década.

c3po6. C3PO

Devo confessar que achava C3PO chato. O robô programado para ser um serviçal sempre me pareceu pedante e medroso, mas ao mesmo tempo eu me preocupava com o personagem, não queria vê-lo destruído e se tornando um monte de sucata. Isso demonstra o quanto o personagem foi bem escrito (e dirigido), com uma personalidade e voz própria, além de um visual único e carismático, C3PO se tornou um dos personagens principais de Guerra nas Estrelas sem sombra de dúvida, e um dos robôs mais populares da história do cinema.

terminator-tpb-original-painting5. O Exterminador do Futuro

Quando criou um roteiro de um futuro apocalíptico onde as máquinas se voltavam contra os seres humanos, James Cameron acabou desenvolvendo uma das séries de maior sucesso para a indústria cinematográfica. O Exterminador do Futuro está em alta em 2009, o quarto filme da série é um dos mais aguardados do ano. Desde 1984 vários modelos do Exterminador apareceram nos filmes, mas o original (interpretado por Arnold Scharzenegger) virou o símbolo clássico da série. Frases clássicas como “I’ll be back” e “Hasta la vista baby”, assim como as sequências de ação e até mesmo a atuação “robótica” de Arnold contribuem para a fama e longevidade do Exterminador.

vicki4. Vicki

Super Vicki foi uma das séries mais peculiares da década de 80. Um cientista cria uma andróide em forma de menina e sua família a adota como uma filha. Vicky possuia uma série de atributos sobre-humanos, como superforça e super inteligência, mas muitas vezes levava as ordens recebidas ao pé da letra causando situações cômicas para sua família. A série durou duas temporadas apenas, mas teve um grande sucesso no Brasil, sendo reprisada pela Rede Record na década de 90.

bender3. Bender

Uma das criações de Matt Groening, o criador de “Os Simpsons”, Bender fazia parte do “elenco” de Futurama, um desenho animado humorístico de ficção científica. Longe de ser robótico, Bender tinha uma personalidade bastante subversiva e em vários episódios demonstrava seu ego e, apesar de tudo, seu carisma. Durante a série Bender já participou de luta livre entre robôs e vagou pelo espaço sendo considerado um Deus por uma comunidade de alienígenas minúsculos que se desenvolveram em seu corpo. Por ser o robô com o senso de humor mais apurado que eu já vi, Bender merece a terceira posição desta lista.

rosie2. Rosie

A empregada doméstica futurística dos Jetsons, Rosie foi uma das primeiras robôs dos desenhos animados e definitivamente uma das mais lembradas. Em um dos episódios da série centrado na personagem ela descobre que seu modelo é ultrapassado e que seus patrões possivelmente não terão mais utilidade alguma para ela. Rosie contempla o suicídio, quase se jogando em um compressor. Os Jetsons conseguem salvá-la, demonstrando seu afeto pela robô carismática que já fazia parte da família. Toda dona de casa possivelmente deseja uma Rosie em suas vidas enquanto passa camisas, lava a louça ou esfrega o chão. Mas provavelmente não possuem a mesma conexão afetiva que os Jetsons tinham com a robô com outros aparelhos domésticos, como a máquina de lavar roupa ou o ferro de passar roupa, mostrando que talvez as donas de casa ainda não estejam prontas para ter uma Rosie em suas vidas.

r2d21. R2D2

O quão nerd alguém deve ser para que R2D2 seja não só seu robô favorito, mas também seu personagem favorito de Guerra nas Estrelas? Pois não está longe da verdade. Acredito que R2D2 encabeça o posto de meu personagem favorito da série junto com Darth Vader, completamente empatado. Como um robô que fala numa linguagem própria pode ter tanto carisma, eu não sei. Mas R2D2 em nenhum momento é apenas uma simples máquina, mas um indíviduo durante toda a série. Sua interação com C3PO e com os outros personagens é de igual para igual, e na minha opinião pessoal melhor do que a de Chewbacca, por exemplo. Tão logo, por causa desse fanatismo nerdiano, não poderia deixar R2D2 fora da primeira posição da minha lista de robôs icônicos.

Musicologia – Mystery Jets, minha nova obsessão musical

Ouvi pela primeira vez esta semana “Young Love” do Mystery Jets. Não foi amor à primeira escutada, pelo contrário, achei meio estranha, meio legal, mas nada demais. Até que ouvindo mais atentamente enquanto passava para o Itunes comecei a me apaixonar gradualmente.  A forma como Laura Marling (outra cantora do cenário Indie britânico que já esteve associada com bandas como Noah and the Whale) entra na segunda parte da música, a letra, o som, tudo começou a casar direitinho com meu gosto.

Depois de ver o clipe abaixo e descobrir que a música foi lançada no dia do meu aniversário deste ano tive certeza: o som foi feito especialmente para mim.

Lista do dia: 7 comidas da madrugada

Sabe a fome que bate após uma noite agitada? Depois de exagerar na cerveja, vodka e nas dancinhas provavelmente traumatizantes? A fome de antes de chegar em casa, saciada por aquele lugar com comida de procedência duvidosa, ou que estão abertos 24 horas atendendo a necessidade dos mortos de fome da madrugada? Essa lista visa não só expor as comidas da madrugada que salvaram o autor da fome, como agradecer aos donos de tais estabelecimentos:

7. Pizza

Quem mora no Rio de Janeiro deve até imaginar de qual pizzaria 24 horas no Leblon eu estou falando. Mas o fato é que muitas noites terminam em pizza. Numa pizza bem comida, que não só retira parte do efeito do álcool com seu queijo derretido, como prepara nossos estômagos para as horas de sono antes do dia seguinte. Pizza pode não ser minha comida favorita, mas no meio da madrugada é o néctar dos deuses ver aquele luminoso da pizzaria e sentir o cheiro de comida.

6. X-tudo

Sucesso absoluto no interior, e também presente nas grandes capitais, esses trailers não aprovados pela anvisa merecem um prêmio da Unesco pela quantidade de bêbados esfomeados que eles alimentam à noite. Provavelmente eles fornecem mais proteínas, gordura e bactérias necessárias para nossa sobrvivência que muita ONG por aí e só por isso merecem meu respeito. Nunca se sabe quando um desses trailers xexelentos salvará minha vida da fome absoluta.

5. Canja de Galinha

Como eu me lembro daquelas noites de mil novecentos e alguma coisa, que nós saíamos numa cidade entre Rio de Janeiro e São Paulo a bordo de camionete Ford F-1000 e depois da noite badalada parávamos para tomar canja de galinha. Inexiste sensação melhor para aquelas noites de inverno da serra da Mantiqueira. Talvez a pipoca com queijo, mas mesmo assim. Canja de Galinha no pós noite tem parte do meu coração. Pra sempre.

4. Temaki

Virou febre aqui perto de casa. Gastar quase dez dinheiros em um temaki é quase de lei antes de ir domir. Está sempre aberto, sempre com gente, sempre à disposição. O salmão sempre fresco e bastante molho shoyu. Melhor eu parar de escrever antes que eu desça e coma mais dois temakis pelo olho da cara.

3. Hot Dog

O mais clássico dos clássicos. Se o X-tudo virou febre, ele deve sua fama e proliferação ao hot dog. Com versões com purê de batata, ou simples molho vermelho, ervilha, milho e batata palha, é impossível estar longe de algum lugar que vende hot dog de madrugada. Nas esquinas do mundo, eles estão lá, nos esperando, prontos para serem devorados com vigor.

2. O que tiver na geladeira, ou no armário

Pode ser Miojo, Pipoca, Trakinas, Sorvete. Pode ser uma mistura de atum, maionese e batata palha, restos do almoço e do jantar misturados e esquentados no microondas. O importante é que sacie nosso estômago, que alimente nossa alma e que não nos lembremos no dia seguinte.

1. Kebab

Se no Brasil o X-tudo e Hot Dogs são donos da noite, na europa são as lojinhas de Kebab. O churrasco grego xexelento é líder europeu das comidas de rua do pós balada. E chega a ter até versões mais chiquezinhas para o público classe AA++ plus premium. Mesma receita no entanto, mesmo teor de gordura, mesma satisfação. Uma pena que aqui no Brasil ainda falta um pouco de divulgação… Mas parte de mim ainda prefere a canja de galinha.